Quando menos é mais?

Vivemos insatisfeitos! E ao ligarmos a TV ou navegarmos pela internet temos cada vez mais a certeza de que esta frase é verdadeira. Por que isso acontece? Nesse mundo de mudanças, dizer que “mudar é preciso” é também cada vez mais óbvio. Mas que tipo de mudanças queremos? Para alguns a mudança de emprego. ParaContinuar lendo “Quando menos é mais?”

O que é melhor: o ser, o ter ou o estar?

Por impulso responderíamos “o ser”. É melhor ser uma boa pessoa sem dinheiro do que ter dinheiro e ser uma pessoa ruim. A lógica em nosso cérebro parece óbvia. Costumamos associar o ser à alma, às qualidades, enquanto o ter, a algo corporal, material e aos vícios. Mas como estamos aqui para refletir, uma novaContinuar lendo “O que é melhor: o ser, o ter ou o estar?”

Quem é invejoso(a)?

Imaginemos uma sala de aula, de reunião, ou ainda um auditório, alguém fazendo essa pergunta à plateia. As reações seriam as mais distintas. Uns abaixariam a cabeça, outros olhariam para o celular, alguns verificariam as horas no relógio, outros tantos dariam aquela tosse seca e curta, e ninguém levantaria a mão, com certeza. Inveja éContinuar lendo “Quem é invejoso(a)?”

Por que praticar o desapego?

Se “a única constante é a mudança”, conforme previa Heráclito de Éfeso, por que nos apegarmos tanto a algo ou a alguém? Quando somos muito jovens nos apegamos sobremaneira a coisas e pessoas, que num breve espaço de tempo já não nos são mais interessantes. Os colegas de escola se mudam e seguem a vidaContinuar lendo “Por que praticar o desapego?”

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora